Carlos Dias correrá 50 km por dia durante um ano

Após ter cruzado o Brasil do Oiapoque ao Chuí correndo cerca de 9.000 km em 100 dias, ter se tornado o único sul-americano a cruzar os 4 desertos mais extremos do planeta (Gobi-China,Sahara-Egito, Antártida-Pólo Sul e Atacama-Chile), e com sucesso cruzar os EUA de Nova Iorque a São Francisco (5.130 km em 59 dias), Carlos Dias se prepara para realizar um desafio audacioso: correr 365 ultramaratonas (50km/dia) em 365 dias ao redor do Brasil.

Carlos Dias pretende iniciar seu desafio no dia 23/9 na Adventure Fair, a maior feira de aventura da América Latina.

O projeto terá um significado muito especial pois Carlos Dias  pretende vender cada quilômetro que percorrer e reverter 20% do valor para o Graacc (Grupo de Apoio ao Adolescente e a Criança com Câncer).

Carlos Dias faz um trabalho intenso de preparação fisica na clinica do Dr. Joaquim Grava, além de treinamentos na Serra da Cantareira, em Atibaia. SP.

No desafio, Carlos Dias terá uma equipe de 4 pessoas para garantir todo suporte que o atleta necessita no seu dia a dia. Agora, o atleta faz todo o planejamento logístico e convida as empresas a comprarem uma cota de patrocínio do desafio

www.adventurefair.com.br

FOTO DE MOCHILA MONTADA PARA O DESAFIO

FOTO DE MOCHILA MONTADA PARA O DESAFIO

Para correr os 4 desertos um ponto muito importante é saber o que colocar na mochila para não elevar o peso e não fazer da travessia um fardo muito árduo,por conta da má administração da mochila.

Todos os dias faço pesquisas e checo a minha mochila para reduzi-la. Cada grama a menos faz uma enorme diferença, o tipo de comida, o material da roupa (do dia e da noite), as lanternas de cabeça e tudo mais. Nos três últimos desertos teve atleta que carregou nas costas até 17 kg a minha mochila ficou entre 10 e 11 kg e pretendo cruzar o Atacama com 8kg no primeiro dia e tentar diminuir esse peso dia após dia .

Para se ter uma mochila eficiente, devemos ter organização, saber colocar cada item dentro da prioridade de uso. Vou destacar o material obrigatório que todos os atletas devem levar na mochila:

1 – Mochila

1 – Saco de dormir

Comida para 7 dias  ( uso comida liofilizada)

2 – Lanterna de cabeça

1- Lanterna de mão
1- Bússola
20 – Alfinetes de Segurança
1 – Faca

1 – Apito

1 – Cobertor térmico

1 – Boné

1 – Óculos especial para claridade

1 – Casaco leve

1 – Calça Poliamida

1 -Luvas leve

2 -Camisetas manga longa

1 – Crocs(tênis)

1 – Protetor Solar

1 – Kit bolha

Medicamentos para estomago, enjôo,anti-flamatório

1 – álcool Gel ( para higiene das mãos)

7 – eletrólitos (soro)

1 – lâmpada de emergência para mochila cor vermelha

Mesmo com essa lista temos os materiais opcionais, como levar repelente, talheres, escova de dente, lenço umedecido, protetor labial, ipod, câmera, baterias.

Cruzar os 4 desertos não requer simplesmente ter somente ótimo preparo físico, mas um bom planejamento da mochila, que será a nossa casa em toda a travessia.

Começo a me preparar para o deserto de sal no Atacama. Como eu fiquei alguns dias descansando, meu corpo sentiu um pouco a volta aos treinos. Ainda estou sentindo os efeitos da Antártida, tanto que ao correr pareço estar carregando um grande fardo.

063

Esses primeiros dias de preparação com o professor Paulão, Fabiana e Yoli da clinica Joaquim Grava já me fizeram sentir mais forte.  Estou muito motivado para chegar em março na minha melhor forma para enfrentar o quarto deserto e me tornar o primeiro sul americano a completar os 4 desertos.

Estou mais tranqüilo, pois a Crocs aprovou minha ida para o Atacama isso me deixa mais focado ainda. Aproveito para dar parabéns aos atletas que concluíram e os que tentaram completar a BR135 de 2009, em especial um forte abraço ao Herói Fung, por estar presente.

065

Vamos em frente pois só podemos tropeçar em algo maravilhoso ou não se estivermos em movimento.

Reblog this post [with Zemanta]

Comecei o ano correndo a prova mais difícil do Brasil a BR135 onde corri os 217 km em 63 horas, mas não peguei a medalha, pois tinha que completar em 60 horas. Senti o cansaço da grande travessia feita em 2007.

Mas me preparei e fui para a China correr o deserto de Gobi e completar os 250 km de montanhas e pedras em 63horas e 43 minutos, voltei com o pensamento no Sahara dormi acordei sempre pensando no deserto mais quente do planeta, e corri em outubro os 250km com 52 graus e muita areia em 51 horas e 17 minutos.

Tinha um desafio ainda maior o deserto da Antártida o mais gelado, 15 dias após correr o deserto mais quente do planeta fui para Antártida na estréia na neve e correr a uma temperatura de 37 graus negativos. Enfrentando os ventos fortes e a neve pesada e úmida junto com a falta de ar das montanhas.

Foi um ano realmente incrível onde tive que me superar para enfrentar situações muito difíceis de ser superado: subir uma montanha a 3.000 metros de altitude, sentir um calor escaldante onde a água parece nunca ser suficiente ou cair a cada minuto na neve pesada e úmida da Antártida foi momentos que jamais sairão da minha mente.

Assim como ter contato com pessoas nos lugares mais hostis do mundo. Agora terei 15 dias para relaxar e fazer um trabalho de recuperação do meu fisiológico vai curtir meu filho e minha família.

Tenho que agradecer a Crocs por proporcionar essas conquistas e toda torcida feita pelos amigos.

Reblog this post [with Zemanta]